Cardeal Dom Geraldo Majella celebrou, em Salvador, 60 anos de sacerdócio

Publicado por em 9, agosto 2017

Dom-Geraldo-Majella-Agnelo-20-300x200Gratidão resume o sentimento dos padres, religiosos e leigos que participaram da Missa em ação de graças pelos 60 anos da Ordenação Sacerdotal do Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Salvador, Cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, nesta sexta-feira (4).

Dom Geraldo, que atualmente mora em Londrina, no Paraná, completou 60 anos de sacerdócio no dia 29 de junho e aceitou o convite de Dom Murilo para celebrar o Jubileu de Brilhante junto ao clero e fiéis da Arquidiocese de Salvador, a qual pastoreou durante 12 anos. “Quando aceitei o convite de Dom Murilo, eu imaginei que viria aqui para que os irmãos da Bahia me ajudassem a agradecer esse jubileu. Vejo que acertei, pois é exatamente o que está acontecendo agora nesse Santuário de Nossa Senhora de Fátima: celebramos a Eucaristia, razão de ser do meu sacerdócio, ação de graças da Igreja em Jesus Cristo, único e suficiente Sacerdote que há 60 anos me incluiu no Seu Ministério” afirmou o cardeal.

A Celebração Eucarística aconteceu no Santuário Nossa Senhora de Fátima (Garcia) e foi concelebrada pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, pelos bispos auxiliares Dom Gilson Andrade da Silva, Dom Marco Eugênio Galrão, Dom Estevam dos Santos Silva Filho e Dom Hélio Pereira dos Santos, pelo Arcebispo da Arquidiocese de Vitória da Conquista, Dom Pepeu, e pelo bispo da Diocese de Camaçari, Dom João Carlos Petrini.

Durante a homilia, Dom Murilo pediu aos sacerdotes e diáconos que foram ordenados por Dom Geraldo que ficassem em pé. “Estamos aqui, Cardeal Dom Geraldo, porque o caro amigo, quando criança e jovem, foi movido pela esperança, por uma grande esperança. Procurava alguma coisa que o satisfizesse plenamente, que desse sentido aos seus passos e enchesse a sua vida de plenitude. Descobriu, então, que só algo infinito poderia lhe bastar. Algo que fosse sempre mais do que aquilo que poderia alcançar. O desejo de ser sacerdote apresentou-se, então, como esse algo infinito”, disse Dom Murilo.2

Logo após a Comunhão, Dom Geraldo foi homenageado e recebeu flores, ofertadas pelo padre Lázaro Muniz e pela Irmã Inês. “Como não lembrar o seu acolhimento, a sua ternura, a sua serenidade e o seu olhar profundo para ver se de fato estávamos bem?”, disse o padre Domingos Sávio. “Não é apenas um coração de pastor, é um coração de mãe como o coração de Deus, que também é mãe, como nos diz o profeta Isaías. Creio que o seu coração também se assemelha ao coração de Maria, quando lemos em São Lucas que nos diz que ela guardava todas essas coisas, meditando-as em seu coração”, completou.

Dom Geraldo

Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia 19 de outubro de 1933, Dom Geraldo é o terceiro filho de uma família formada por oito irmãos. Os pais Antônio Agnelo e Sílvia Spagnolo Agnelo o batizaram aos quatro meses de vida. Ao completar 12 anos, Dom Geraldo iniciou o curso ginasial no Seminário Menor de Santo Antônio, em Juiz de Fora, continuando os estudos em 1948, no Seminário Menor de São Paulo, em Pirapora do Bom Jesus, dirigido pela Ordem dos Premonstratenses (O.Praem).

No ano de 1951 Dom Geraldo iniciou o curso de Filosofia no Seminário Central da Imaculada Conceição do Ipiranga, na capital paulista. A licença em Filosofia foi obtida anos mais tarde na Faculdade de Filosofia da Universidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo. Em 1954 Dom Geraldo se inscreveu na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, também em São Paulo, obtendo a licença no ano de 1957.

A Ordenação Sacerdotal aconteceu no dia 29 de junho de 1957, na Catedral da Sé, em São Paulo, pelas mãos do então Arcebispo de São Paulo, Dom Antonio Maria Alves de Siqueira. Como presbítero exerceu as funções de Diretor Espiritual no Seminário Vestibular Santo Cura d’Arns para Vocações Adultas, no Seminário Filosófico em Aparecida e no Curso Teológico do Seminário Central da Imaculada Conceição do Ipiranga.

3No dia 13 de janeiro de 1999 o Papa João Paulo II nomeou Dom Geraldo como Arcebispo Metropolitano de São Salvador da Bahia, tendo tomado posse canônica em 11 de março do mesmo ano. Dom Geraldo foi o 26º Arcebispo da Arquidiocese de Salvador.

No dia 21 de janeiro de 2001 Dom Geraldo foi eleito Cardeal da Santa Igreja Romana, junto com 43 novos cardeais da Europa, Ásia, África e América, os primeiros do novo milênio.Em fevereiro do mesmo ano, no Consistório do Vaticano, receberam do Papa João Paulo II o barrete vermelho e o anel, sinais da dignidade cardinalícia e do compromisso que pode exigir do Cardeal o heroísmo coma entrega total de si mesmo a Deus e aos irmãos.

Fonte e fotos: Arquidiocese de Salvador

Compartilhe!

    Compartilhe conosco! Comente!

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>